Takt time vs. cycle time: qual a diferença desses métodos?

Um bom gerenciamento de desempenho é essencial para que o negócio possa crescer e alcançar novos objetivos. É por isso que, entre outros aspectos, vale conhecer e explorar a comparação takt time vs. cycle time.

Esses dois conceitos são muito relevantes e ajudam a ter uma boa visão sobre a gestão de tempo no negócio. Ao saber como eles se diferenciam, é mais fácil compreender quando usar cada um corretamente.

Nesse sentido, veja a comparação de takt time vs. cycle time e entenda o que cada termo significa!

O que é takt time?

O takt time tem a ver não apenas com a estrutura interna, mas também com as demandas dos clientes. De forma simples, podemos dizer que ele representa o ritmo ideal de produção ou ações para atender à expectativa do mercado.

Ele é calculado pela seguinte fórmula:

Takt = tempo disponível / demanda de consumo

Digamos que durante 6 horas, um colaborador tem que processar 60 pedidos. Então, esse indicador é dado por:

Takt = 360 minutos / 60 pedidos

Takt = 6 minutos/ pedido

Na prática, significa que o profissional pode “gastar”, no máximo, 6 minutos por pedido. Acima disso, ocorrerão atrasos.

E o cycle time?

Já o cycle time representa o tempo necessário para fechar um ciclo, qualquer que seja ele. Na prática, é medido o quanto demora para uma ação ser executada, como a produção de um item, do começo ao fim. Imagine que a unidade de um produto começa a ser produzida na segunda-feira e é finalizada na quarta-feira. Nesse caso, o cycle time é de 2 dias.

Esse é um componente importante do lead time, que representa todo o período percorrido na cadeia de valor. Ele indica, por exemplo, a quantidade de horas ou dias entre um cliente fazer um pedido e a compra ser finalizada com a entrega.

Takt time vs. cycle time: como se diferenciam e se relacionam?

Ao pensar nesses dois conceitos, é possível notar que eles são diferentes em relação ao que medem. Enquanto o cycle time envolve o tempo efetivamente gasto em um processo, o takt time aborda o “ritmo” ideal — que tem a ver com a demanda do mercado, enquanto que o cycle time é uma métrica apenas interna.

Na comparação takt time vs. cycle time, a forma de medir também varia. O primeiro é calculado indiretamente, por meio de uma fórmula que considera o interesse e o tempo disponível. Já o cycle time pode ser medido com a mera ajuda de um cronômetro ou relógio.

Ao mesmo tempo em que seus conceitos apresentam características singulares, vale observar que esses indicadores guardam relação entre si. Idealmente, eles deveriam ser iguais, o que representa o equilíbrio entre capacidade e demanda. Portanto, são duas medidas que se complementam e que favorecem uma análise mais completa.

Por que é importante calculá-los?

O cálculo de ambos os indicadores é essencial para acompanhar melhor a performance da empresa. Ao conhecer os números, um takt menor que o cycle time representa que o negócio não tem sido produtivo o suficiente. De forma simples, é uma configuração que aponta que o time não é capaz de atender às necessidades de mercado.

Já um cycle time menor que o takt pode indicar que a empresa tem sido mais produtiva que o necessário. Isso não é necessariamente ruim, mas pode apontar para a ociosidade e para a importância de otimizar o uso dos recursos.

Ao considerar a comparação de takt time x cycle time, podemos notar que são duas medidas diferentes, mas relevantes e que se complementam. Por meio do acompanhamento frequente, será possível tomar boas decisões para o negócio.

Se quiser acompanhar todos os procedimentos com maior qualidade, veja quais são os melhores indicadores de desempenho de processos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *